O Couraçado de Defesa Costeira Vasco da Gama

O navio de guerra Vasco da Gama foi o único navio da Marinha portuguesa da classe dos couraçados, isto é, navios de guerra construídos em metal, inteiramente blindados e equipados com peças de artilharia de grande blindagem, capazes de combater a longas distâncias. A sua vocação principal era de defesa da costa, de acordo com um conceito militar em voga no final do século XIX. Lançado à água pela primeira vez em 1876, foi o maior e mais importante navio da Marinha durante cerca de 6 décadas, até à sua descontinuação em 1935.

Porém, a rápida evolução da competição naval fez com que por volta da viragem do século já demonstrasse sinais de obsolescência. Se tivesse de ter combatido na Primeira Guerra Mundial, certamente não seria capaz de combater em condições de igualdade com os mais poderosos cruzadores e couraçados alemães, sem falar nos temíveis submarinos. Quando foi desmantelado, estava totalmente obsoleto.pr_bb_2

Crise económica e dimensão da Marinha

Nos séculos XV e XVI um país necessitava de ter florestas, ferramentas de trabalho de madeira e estaleiros com operários e construtores experientes para conseguir criar grandes armadas. No século XIX, em plena revolução industrial, a capacidade industrial de um país era determinante. Por isso, a Marinha portuguesa do século XIX nunca se poderia comparar diretamente com as maiores potências marítimas do seu tempo. O mesmo fenómeno acontece nos dias de hoje, quando, de resto, largos setores da opinião pública continuam a questionar a real utilidade da aquisição dos submarinos Tridente e Arpão.

A história do Vasco da Gama

Os recursos do país nunca permitiram que o Vasco da Gama (construído em Inglaterra) tivesse “companhia” de outro couraçado, mas foi possível proceder a obras de reparação e modernização, entre 1901 e 1903. O Vasco da Gama serviu durante um tempo marcado pela bancarrota de 1892, a revolução de 1910 e a I Guerra Mundial. O couraçado tinha 71 metros de comprimento, podia atingir 16 nós e tinha uma tripulação de 259 homens. Os seus 2 canhões de 203 mm foram do maior calibre de que a Marinha alguma vez dispôs.